Medicina Geral e Familiar

. 2008 – Pós-graduação em Medicina Legal Social e do Trabalho
. 1977 – Licenciado em Medicina pela Universidade de Lisboa
. Competência “Peritagem Médica da Segurança Social” pela Ordem dos Médicos
. Competência “Avaliação do Dano Corporal” pela Ordem dos Médicos


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

. Médica de Clínico Geral na Associação de Socorro Mútuos dos Empregados do Comércio e Industria;
. Médico de Clínica Geral na Associação de Socorro Mútuos dos Empregados do Comércio de Lisboa;
. 2007 até ao presente – Preside Comissão de Verificação de Incapacidade Temporária da Segurança Social de Torres Vedras;
. 2002 até ao presente – Coordena e preside às Juntas Médicas de Verificação de Incapacidade Temporária da Direção Regional de Educação de Lisboa;
. 2002/2005 – Vogal da Junta Médica de Verificação de Incapacidade Temporária da ADSE;
. 1988/2003 – Médico de Clínica Geral na Guarda Fiscal e GNR;
. 1983/2005 – Médico de Clínica Geral no Hospital Militar Principal
. 1983 – Médico-Chefe do posto clínico da 4ª Divisão de Intervenção da PSP de Lisboa;


FORMAÇÃO PROFISSIONAL

. Frequência do 5º ano da especialização em Dermatologia;
. 1986/1987 – Estágio Intercalar de Medicina Interna no Hospital Militar Principal no âmbito da especialização em Dermatologia;
. 1980/1981 – Frequência da especialidade de Oftalmologia no Hospital dos Capuchos;
. 1979 – Estágio de Saúde Pública no Centro de Saúde do Bombarral;
. 1979 – Estágio de Cirurgia no Hospital Distrital de Caldas da Rainha;
. 1978 – Estágio de Medicina no Serviço de Medicina IV;
. 1978 – 1º ano do Internato de Policlínica.


AVALIAÇÃO DE DANO CORPORAL E APOSENTAÇÃO

A avaliação do dano corporal pós-traumático é uma perícia médico-legal onde se avaliam as sequelas de um traumatismo, tenha ele ocorrido em meio laboral (acidente de trabalho) ou na sequência de uma agressão, atropelamento, acidente de viação (avaliado no âmbito do direito civil). A desvalorização é feita com recurso à Tabela Nacional de Incapacidades onde constam os coeficientes de desvalorização, aplicando-se a regra da capacidade restante. A desvalorização apurada é posteriormente introduzida numa fórmula complexa que determinará o valor da indemnização.

No caso dos acidentes de trabalho em funções públicas a fixação da desvalorização e indemnização é fixada pela Caixa Geral de Aposentações.

Os relatórios para a aposentação conforme se trate da função pública ou privados são em regra elaborados para serem entregues na junta médica para efeitos de aposentação por doença.